sábado, 28 de julho de 2012

Reflexões eleitorais: a segurança pública

Olá.
Como vocês sabem, a campanha para as eleições municipais já estão nas ruas e nas redes sociais. E em breve, invadirão a TV. É hora de, mais do que nunca, começar a refletir sobre o nosso voto e suas consequências. E se lembrar que são nossas vidas que estão em jogo nessa eleição.
Por isso, temos que, em primeiro lugar, conhecer nossos candidatos: sua vida, seu passado, o que ele realizou e, sobretudo, se ele sente na pele o que está acontecendo na cidade.
Neste post de hoje, decidi falar sobre um tema que toda eleição está na pauta de muitos candidatos. Candidatos esses que se aproveitam da crescente violência pública para oferecer fórmulas mágicas e soluções imediatistas e superficiais para a violência: contratação de mais policiais, compra de veículos caros e reformas de delegacias.
Entretanto, é preciso que o cidadão tenha em mente que, em primeiro lugar, não basta contratar policial e botar nas ruas. Tem que se treinar esse policial e pagar muito bem à ele. Ano passado, explodiram muitas greves de policiais, denunciando o descaso dos governos com essa categoria que tantos serviços prestam à sociedade, arriscando até a própria vida.
Outro ponto importante e que sempre foi negligenciado: um dos maiores fatores de aumento na criminalidade são a falta de empregos, escola e oportunidades para as classes menos favorecidas. É sabido que a ociosidade é um fator determinante para que jovens e adultos acabem caindo no submundo da criminalidade por ser o único caminho possível muitas vezes.
Assim sendo, a solução para a violência humana passa pela educação e pelas ofertas de empregos e oportunidades. Só se acaba com o problema pela raiz. Não adianta construir mais cadeias, colocar mais policiais na rua se os criminosos não param de surgir. Tenho certeza que, tendo uma opção concreta de trabalho honesto e crescimento, ninguém vai preferir cair na marginalidade.
O que eu quero dizer com essa história todinha? E o que isso tem a ver com eleições?
Aí é que você tem que ficar atento. Desconfie (e muito) de qualquer candidato que proponha combater a criminalidade sem um programa concreto de melhoria da educação formal e profissional e das ofertas de emprego. Quanto aos que já se encontram no submundo do crime, as cadeias tem recuperar os presos de verdade (com programas de educação e emprego), deixando de ser o atual depósito de humanos que não fazem nada de útil e ainda gastam dinheiro público.
A única saída pra qualquer nação, seja lá em que área de atuação for, é a educação. Se o seu governante não prioriza isso, ele não serve pra você.
Pense em tudo isso antes de votar.
Abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A partir de agora, todos podem comentar no blog, incluindo os anônimos. Contudo, para a sua segurança (e para a minha, claro), ele serão moderados. Só passarão os comentários relacionados ao assunto do post. Comentários com ofensas ou agressões não são bem-vindos. No mais, aproveite. Este espaço também é seu. Sabendo usar, não vai faltar.