quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Milionário pode tudo 2 (ou "tenho 18 anos e demiti meu chefe")

Olá.
Bem, a alguns posts atrás, falei do comportamento de Neymar. Como todos temos acompanhado, a jovem revelação do Santos, ultimamente, tem sido notícia mais pelas polêmicas em campo e extra-campo que protagonizou que pelo seu futebol que já é de gente grande. Infelizmente, a maturidade do rapaz é que não cresceu junto com o futebol.


"EU SOU RICO! EU SOU RIIIIIIICO!"


E Dorival Jr., treinador do Santos até ontem (já já chego lá) atento aos abusos de Neymar e atendendo a conselhos de colegas de trabalho, decidiu puní-lo exemplarmente para mostrar que o jovem jogador estava completamente equivocado no modo com estava levando a sua carreira.



"Primeiro sou ownado pelo Ganso, depois por Neymar e agora pelo Santos? Pense num pessoa sem moral.#VDM"


O problema é que futebol vive de resultados, já dizia o velho chavão da imprensa esportiva. E como, com o afastamento de Neymar, os tais resultados não estavam acontecendo, o Santos decidiu liberar o craque do castigo a revelia do treinador alvinegro. Resultado, Dorival Jr. bateu o pé (com razão, diga-se de passagem) e aí, a diretoria santista não viu outra solução senão demitir o treinador "teimoso e rebelde".
Em nota oficial, o Santos disse que demitiu Dorival por "insubordinação". Ora, senão vejamos: Neymar também cometeu insubordinação a contestar as ordens do treinador e depois xingá-lo em rede nacional. E ele foi expulso? Não, né? Foi simplesmente multado. Vê aí se não foram usados dois pesos e duas medidas no caso?
Era o Dorival tentando salvar a carreira de Neymar punindo-o para o seu próprio bem e a diretoria do Santos, em um gesto de imedistismo total, contribui para estragar ainda mais esse valor do futebol que está se perdendo.
Uma pena ver um grande clube como o Santos Futebol Clube ficar a mercê de um jogador de 18 anos, craque, talentoso, mas que está deslumbrado e achando que pode passar por cima de todo mundo, inclusive de seus superiores. Isso é totalmente errado. Jogador, seja lá de que idade for, nunca deve poder mais que um treinador e que qualquer funcionário do clube. No futebol, assim como em qualquer outra área, tem que reinar o trabalho e o respeitos aos companheiros, aos superiores e as demais pessoas envolvidas.
Agora, acho muito difícil o Santos arranjar outro treinador que tenha a competência do Dorival e, ao mesmo tempo, aceite que a diretoria do clube, que deveria se preocupar com assuntos burocráticos, interfira em escalação de jogador, que, por acaso, é competência que cabe somente ao treinador. É pra isso que ele recebe salário, não?
E espero que esse episódio sirva de exemplo para outros clubes do que não se deve fazer no trato com jovens revelações. Eles devem sim usar o talento em favor do clube maaaaaaas, ao mesmo tempo, deve preservar esse atleta e cuidar de sua carreira em seu início para que este não se deixe deslumbrar pelo dinheiro e pela fama e que seja um exemplo também fora de campo. Assim, ganham tanto o clube, que terá um atleta competente e maduro, quanto o próprio jogador, que terá muitas portas abertas em outros clubes.
Quanto a esse episódio, só resta desejar a Dorival boa sorte no novo clube, visto que um treinador de sua competência nunca fica desempregado e que, apesar de tudo, Neymar ainda consiga ter sucesso na carreira e que daqui pra frente, mude o seu comportamento pra melhor. Ele é promissor, maaaaaas ainda tem que melhorar muito e ganhar muita coisa ainda profissionalmente falando para ser um ídolo de verdade.
Por hoje, é isso.
Abraço.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A partir de agora, todos podem comentar no blog, incluindo os anônimos. Contudo, para a sua segurança (e para a minha, claro), ele serão moderados. Só passarão os comentários relacionados ao assunto do post. Comentários com ofensas ou agressões não são bem-vindos. No mais, aproveite. Este espaço também é seu. Sabendo usar, não vai faltar.