segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia Internacional da Mulher X o Império do Machismo

Olá.
Este post de hoje é, inclusive bastante pertinente, já que hoje é o Dia Internacional da Mulher. Um dia para homenagear essas guerreiras que trabalham, estudam, são mães, esposas e dão mais brilho à nossa vida. Um dia para lembrar a luta histórica por uma vida mais digna e mais em pé de igualdade com os homens, que ainda é o sexo privilegiado. Porém, é triste ver que, apesar de toda luta das mulheres, ainda há pessoas que tem a mentalidade pequena e que ainda acham que mulher é uma propriedade do homem.
O caso que vou contar hoje acontece o tempo todo em todo o mundo, maaaaaaas é algo que se torna grave quando uma personalidade que está em evidência e é, inclusive, ídolo da juventude tem pensamentos, palavras e atitudes completamente condenáveis. Nesses últimos dias, temos acompanhado mais um caso de escândalo envolvendo o jogador Adriano, o Imperador. Ele teria tido problemas com a esposa e isso afetou seu trabalho como jogador. Ok. O problema foi que, depois, o seu companheiro de clube, o goleiro Bruno, foi tentar defendê-lo. Só que aí, ele deu uma pequena amostra de como ele pensa que se deve lidar com a mulher numa situação dessas:


Muitos que são casados sabem que, às vezes, em um relacionamento, é preciso uma discussão, ou até mesmo algo mais sério. Quem nunca saiu na mão com a mulher? Em briga de marido e mulher ninguém mete a colher, xará. Quando a adrenalina está alta não tem lugar. (Bruno, em entrevista, via Globoesporte.com)

Ou seja, pelo que eu entendi, ele defende que é normal o marido bater na sua esposa em uma situação de crise ou stress. Talvez, o que ele não saiba ainda é que violência contra mulher, qualquer que seja o laço que ela tenha com o homem, não só é imoral, como ilegal. E dá cadeia, segundo a Lei Maria da Penha. Confira o texto da lei clicando aqui.
Maaaas, não é uma questão só de lei. É uma questão de respeito. Violência nunca será uma demonstração de amor. Demonstração de amor, até onde eu sei, é carinho, é um abraço, um beijo, um elogio. É claro que um casal sempre vai ter conflitos. Maaaaaaas, estes devem ser resolvidos na base do diálogo. Quando não há diálogo, não pode existir amor. É claro que, geralmente, mulheres não querem largar seus maridos agressores por uma série de fatores, sejam eles econômicos, sejam afetivos.
Acredite, leitora que me lê agora. Você não precisa ficar presa a um homem preocupada com o que os outros vão pensar ou com medo de ficar desamparada ou por acreditar ou por amar o marido. Para amar outra pessoa, você tem que aprender a se amar primeiramente. Eu não acredito que um homem que ame uma mulher de verdade seja capaz de agredi-la. Isso não é amor: é sentimento de posse. Repito: mulher é uma companheira, não uma propriedade. Ninguém tem o direito de levantar a mão contra qualquer pessoa que seja, principalmente se for parente ou esposa. Não aceite, mais agressões de seu marido, namorado, tico-tico no fubá ou o que quer que seja, cara leitora. Levantou a mão na primeira vez, Maria da Penha nele. E se você conhece alguém nessa situação, não siga a lógica do goleiro Bruno ( em briga de marido e mulher não se mete a colher). Denuncie mesmo! Você pode estar salvando várias vidas com essa ação.
Temos que ser a favor do amor e da paz sempre, não à violência.
Bem, esse foi o meu apelo em nome de uma sociedade que viva em harmonia, independente de sexo, cor, religião e orientação sexual.
E mais uma vez, feliz Dia Internacional da Mulher, que na verdade é todo dia.


Abraço.

3 comentários:

  1. Parabéns pelo texto Welton!

    E não esqueçamos que pelo visto o vencedor do realityshow de maior audiência da televisão brasileira vá ser um sujeito que disse não ter espancado uma mulher por haver câmeras no momento...

    ResponderExcluir
  2. Assaz derrotante, Bruno!!

    Welton, eu até acho bacana tu falar da Lei Maria da Penha. Ela é eficiente contra cabra-safado que bate na mulher mas tem medinho de puliça.
    Agora... pra psicopata, ela é patética =/

    Tem coisas que a pena chega a ser UMA CESTA BÁSICA. Lei Maria da Penha precisa digivolver urgentemente, isso sim.

    ResponderExcluir
  3. Comentário um pouco fora de tempo, mas antes tarde do que nunca. Enfim, nunca, jamais, em tempo algum, eu defenderia ou concordaria que um homem batesse em uma mulher. Porém, tem muita mulher querendo que se esconde atrás dessa lei. Existe as que batem em homem, que querem ser "a doida" e "a valente"... eu conheci uma... é patético, mas tem cara que tem que se sujeitar a isso e não larga a bendita. E muitas delas fazem isso tendo a lei como defesa. E sinceramente é difícil ter que se controlar em certos momentos. É comum o ser humano tentar se defender e às vezes até revidar. Que fique claro que não concordo nem justifico qualquer tipo de violência. Mas falam tanto de homem agressor e deixam de lado esse tipo de mulher metida a "fodona".

    ResponderExcluir

A partir de agora, todos podem comentar no blog, incluindo os anônimos. Contudo, para a sua segurança (e para a minha, claro), ele serão moderados. Só passarão os comentários relacionados ao assunto do post. Comentários com ofensas ou agressões não são bem-vindos. No mais, aproveite. Este espaço também é seu. Sabendo usar, não vai faltar.