quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Eu não sei quem foi o mais "desocupado" nessa história


Olá.
A falta do que fazer uniu dois profissionais: o bombeiro e o jornalista.
Senão vejamos:
Está no G1, neste momento, a notícia de que um bombeiro resgatou um Poodle de um ralo lá em Praia Grande, litoral de São Paulo. Ok, o cachorro tinha mesmo que ser salvo, afinal ele não tem culpa se a estupidez do homem criou obstáculos aos animais. Maaaaaaas, eu creio que não era preciso chamar Corpo de Bombeiros coisa nenhuma. A pessoa que ligou para o serviço poderia perfeitamente ter mobilizado pessoas na vizinhança mesmo para resgatar o animal. Os bombeiros são profissionais que precisam estar disponíveis para uma real emergência. Eles podiam estar resolvendo problemas de verdade no tempo que eles dispensaram para resgatar o animal.
E o mais intrigante é que a gente só está sabendo disso porque alguns repórteres foram lá e fizeram uma cobertura do ocorrido. Com tanta coisa mais importante para noticiar, como a política, as falcatruas dos governantes, os problemas de segurança, o descaso com a saúde pública e etc., os caras vêm com uma notícia de "um comovente resgate de um cachorro de madame de dentro de um ralo pelo Corpo de Bombeiros".
Isso me leva a fazer dois questionamentos:

1-Por que o Corpo de Bombeiros ainda aceita se prestar a serviços tolos como esse?
2-Em que lugar fica o interesse do público (que é quem compra o jornal ou assiste a TV) no exercício do jornalismo?

Ora pessoas, seja lá de que profissão você for, não adianta você ir fazer qualquer coisa só pra mostrar serviço não: tem que se fazer o que tem que ser feito. E todos nós sabemos o que tem que ser feito em cada profissão: basta fazer.
E o consumidor tem o direito a voz: basta ligar para os ombudsmen e para os SAC's da vida.
Mãos à obra, senhores. Sem lero-lero. Vamos atender a demandas reais, pois é isso que o povo quer e é disso que o povo precisa.
Abraço.

Um comentário:

  1. Mas jornalista se empolga muito mesmo com essas notícias cretinas. Lembra daquela vez que fizeram matéria de uma forma de assar carne que supostamente tinha formado o rosto do Michael Jackson? É pra pocá as roda do fusquinha!

    ResponderExcluir

A partir de agora, todos podem comentar no blog, incluindo os anônimos. Contudo, para a sua segurança (e para a minha, claro), ele serão moderados. Só passarão os comentários relacionados ao assunto do post. Comentários com ofensas ou agressões não são bem-vindos. No mais, aproveite. Este espaço também é seu. Sabendo usar, não vai faltar.