sexta-feira, 31 de julho de 2009

Um quarto de século de vida


Olá.

Hoje é um dia muito marcante em minha vida, não só porque é meu aniversário, mas porque não se trata de um aniversário qualquer. Estou comemorando 1/4 de século de vida. Consegui.

Pode-se se dizer que, apesar das inúmeras dificuldades que sempre tive desde o princípio dessa minha caminhada terrestre (e tenho até hoje), tenho sim uma vida feliz.
No começo, Welton Luis era uma criança tímida, porém, muito inteligente e observador. Tinha poucos amigos, relacionava-se mais com os primos e sua maior diversão não era correr no meio da rua com as outras crianças, e sim , os livros, as folhas para desenhar e o carrinhos. Era fã de Fórmula 1 e sobretudo de Ayrton Senna (e chorou uma semana direto quando este partiu). Pouco depois também se apaixonou por um time que expressava sua própria personalidade na época, pois tinha como emblema uma estrela solitária, que, algum tempo mais tarde, lhe daria um Brasileirão de presente.Chegando na adolescência, continuou tímido ao princípio dela, mas já tinha mais amigos, já que sempre foi muito simpático e atencioso. Mas como a timidez ainda o atrapalhava, ele precisou de ajuda externa. Foi aí que o jovem Welton, a convite das suas irmãs mais velhas, entrou para um grupo de jovens da Igreja. A partir de então sua vida mudou pra melhor para sempre. Aos poucos, foi conhecendo novos amigos e, a partir dessa experiência, melhorou nos seus relacionamentos de um modo geral. Welton já não era mais um menino tímido, calado e observador. Tornou-se uma pessoa comunicativa, carinhosa, sociável e de atitude.Chegando na fase adulta, nunca parou de crescer como pessoa. Após uma luta muito suada, pois sempre estudou em escola pública, passou em um dos vestibulares mais concorridos de sua cidade numa excelente colocação. A partir de então, Welton conheceu novos companheiros para a vida inteira e passou a também ser chamado de Shiryu, que também é um personagem conhecido pela sua luta apesar das inúmeras dificuldades pelo que passou.
Hoje, ele pode dizer sim que teve 25 anos muito bem vividos e que, apesar das dificuldades, tem condições de viver feliz por muitos anos. Afinal de contas, ele não está sozinho. Ele tem amigos, como vocês que me leem, que nunca o abandonarão.
Desde já, obrigado por tudo.
E que venham os próximos aniversários. Afinal, como diria meu conterrâneo Belchior: "Tenho 25 anos de sonho, de sangue e de América do Sul".
Abraço.

4 comentários:

  1. Parabéns Welton, finalmente saiu dessa idade duvidosa...

    Felicidades velho

    ResponderExcluir
  2. Continuo leitora assídua, embora faça algum tempo que não tenho comentado aqui, mas hoje eu não podia deixar de comentar. Afinal, é teu aniversário e foi através do blog que tive a chance de te conhecer. Até porque a distância física que nos separa é muita e dificilmente teríamos outro meio de ter algum contato. Sem mais delongas, PARABÉNS!


    Desejo muito mais felicidades na tua vida e na de todos ao teu redor, que com certeza já são felizes por ter tua companhia.
    Redundantemente: Te adoro!

    ResponderExcluir
  3. 25 anos já? =O Parabeeeeeeeeeens pra você! SUHAUHSAHUSUHASUHAHUSUHAHS

    ResponderExcluir

A partir de agora, todos podem comentar no blog, incluindo os anônimos. Contudo, para a sua segurança (e para a minha, claro), ele serão moderados. Só passarão os comentários relacionados ao assunto do post. Comentários com ofensas ou agressões não são bem-vindos. No mais, aproveite. Este espaço também é seu. Sabendo usar, não vai faltar.