segunda-feira, 23 de março de 2009

Série anti-cases: Propaganda para pensar (e endoidar)

Olá.
E ainda há quem defenda que, para ser publicitário, basta saber mexer em Corel Draw, Illustrator e Photoshop.
Também cara. Maaaaas, isso não é tudo.
Observe esse anúncio abaixo. É de uma operadora de planos de saúde. Observe o perigo de você usar os programas gráficos citados acima, aliados à falta de noção da dupla de criação (se é que foi mesmo uma dupla de criação que fez; pode ter sido o sobrinho do dono):


Cara, essa peça foi a mais intrigante que minhas retinas já viram. Ela faz a gente pensar...e muito.
Depois de muito analisar, não sei mais se o animal é um gato, uma lebre, um cão, uma borboleta, um calango ou um periquito australiano.
Gente, não se trata apenas de uma peça engraçadinha (pra não dizer, tosca). Trata-se de um tiro no pé em marketing. Um plano de saúde tem que passar segurança, confiabilidade e o mais importante, seriedade. Essa peça faz exatamente o contrário. Além disso, quanto à criação, eu vi três problemas: a redação usa um termo já chavão no varejo "Não compre gato(?) por lebre"(ou seja, criatividade zero); a montagem dispensa comentários e, no fim das contas, o conjunto tem muita e nenhuma informação ao mesmo tempo, pois carece de sentido.
Por isso que você, empresário, na hora de anunciar, procure publicitários profissionais. Vai sair um pouco caro pra fazer uma campanha que preste, maaaas, não se trata de gasto, como muitos empresários sem noção pensam, e sim de investimento. Fazer ações que melhorem a imagem da sua empresa é sabedoria e vai se reverter em lucro a longo prazo.
E, se você nunca trabalhou com publicidade e acha que pode fazer um anúncio só com conhecimentos avançados em programas gráficos, você está redondamente enganado. Publicidade não é pra qualquer doidim. Publicidade exige estudo, trabalho, pesquisa, dedicação e, principalmente, suor na testa. Não é sentar e criar, como a maioria da população pensa.
Fica a dica, empresário. Não queira que a imagem de sua empresa seja queimada com peças ou campanhas como essas.
Abraço.

Ps: Sim, este post foi um desabafo acerca da situação do mercado publicitário de minha cidade. Publicidade no Ceará ainda não é levada a sério como se deveria.E os maiores perdedores não somos nós, publicitários. São as empresas locais que não crescem também por não ter uma comunicação adequada com seu público-alvo.

5 comentários:

  1. Se serve de algum consolo a publicidade aki tb é muito muito fraca. Apenas um bando de gente batendo palma e chamando o povo p/ comprar.

    ResponderExcluir
  2. HAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA!!!Cara, eu ri. Ri mesmo. Casquei de rir com essa disgrama de anúncio.

    Derrota, né

    Ow... deu uma recauchutada no layout do blog... ficou assaz aprazível.

    ResponderExcluir
  3. moçoooooo
    sinto a mesma coisa com relação ao jornalismo aqui em Minas. pra vc ver, acho que a desvalorização com o mercado de comunicação é geral. Mas no fim, sabe o que eu penso? Que é bom aparecer uns lixos desses, porque aí o empresário ou quem quer seja vai ver que se escolher um profissional de verdade não vai sair uma merdinha e tosquice dessas. Muito pertinente seu post. Beijos

    ResponderExcluir
  4. rs...

    Se a propaganda é isso, imagina o serviço do tal plano de saude.

    Como sabiamente dizem por ai: A propaganda é a alma do negócio!

    ResponderExcluir
  5. "Se a propaganda é isso, imagina o serviço do tal plano de saude."

    Esse é o ponto que eu queria chegar, Jacke.

    ResponderExcluir

A partir de agora, todos podem comentar no blog, incluindo os anônimos. Contudo, para a sua segurança (e para a minha, claro), ele serão moderados. Só passarão os comentários relacionados ao assunto do post. Comentários com ofensas ou agressões não são bem-vindos. No mais, aproveite. Este espaço também é seu. Sabendo usar, não vai faltar.