terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Barack Obama assume o topo do mundo


Olá.
Hoje, dia 20 de janeiro de 2009, é um dia histórico e eu não poderia deixar de falar a respeito.
Barack Obama, o primeiro presidente de cor da historia dos Estados Unidos assume definitivamente.
O mundo inteiro parou para acompanhar a posse de Obama, seja in loco, seja na televisão. E a posse, bem como o primeiro discurso se deram em frente ao Capitólio, na capital Washington. Obama inicialmente fez o juramento sobre a mesma Bíblia que Abraham Lincon jurou em 1861, dizendo estas palavras, já previstas na Constituição: "Eu, Barack Hussein Obama, juro solenemente cumprir fielmente as funções de presidente dos Estados Unidos e, na medida de minhas possibilidades, salvaguardar, proteger e defender a Constituição Estados Unidos", e acrescentou "com a ajuda de Deus", que já te tornou praxe há mais de 100 anos.
E em seguida fez seu primeiro discurso. O Ora píulas! reproduz agora o primeiro discurso do 44o presidente americano, traduzido para o bom português:

Obrigado (Obama, Obama) Meus compatriotas, Aqui me encontro hoje humilde diante da tarefa diante de nós, agradecido pela confiança depositada por vocês, atento aos sacrifícios feitos por nossos ancestrais. Agradeço ao presidente Bush pelos seus serviços a esta nação, assim como pela generosidade e pela cooperação mostradas durante esta transição. Quarenta e quatro americanos, até hoje, prestaram o juramento presidencial. Suas palavras foram ditas durante a maré ascendente da prosperidade e nas águas calmas da paz. Mas frequentemente o juramento é prestado em meio a nuvens crescentes e tempestades ruidosas. Nestes momentos a América foi em frente não apenas graças ao talento e à visão daqueles no poder, mas porque nós, o povo, permanecemos fiéis aos ideais de nossos antecessores e aos nossos documentos fundadores. Foi assim e deve ser assim com esta geração de americanos. Estamos no meio de uma crise que é agora bem compreendida. Nossa nação está em guerra contra uma rede de violência e ódio de longo alcance. Nossa nação está bastante enfraquecida, uma consequência da ganância e da irresponsabilidade de alguns, mas também da nossa incapacidade coletiva de tomar decisões difíceis e preparar a nação para uma nova era. Lares foram perdidos; empregos foram cortados; empresas destruídas. Nossa saúde é cara demais; nossas escolas deixam muitos para trás; e cada dia traz novas evidências de que a forma como usamos a energia fortalece nossos adversários e ameaça nosso planeta. Estes são os indicadores de uma crise, tema de dados e estatísticas. Menos mensurável, mas não menos profundo, é o solapamento da confiança por todo o nosso país. Um medo persistente de que o declínio da América seja inevitável, e que a próxima geração deva ter objetivos menores. Hoje eu lhes digo que os desafios diante de nós são reais. São sérios e são muitos. Eles não serão superados facilmente ou num curto período de tempo. Mas saiba disso, América: eles serão superados. (aplausos) Neste dia nós nos unimos porque escolhemos a esperança e não o medo, a unidade de objetivo, e não o conflito e a discórdia. Neste dia viemos proclamar o fim de nossas chorumelas e falsas promessas, as recriminações e os dogmas desgastados, que por tempo demais estrangularam nossa política. Ainda somos uma nação jovem, mas, nas palavras das Escrituras, chegou a hora de deixar de lado as coisas infantis. Chegou a hora de reafirmar nosso espírito resistente; de optar pela nossa melhor história; de levar adiante esse dom precioso, essa nobre ideia, passada de geração em geração: a promessa divina de que todos são livres, todos são iguais e todos merecem a chance de lutar por sua medida justa de felicidade. (Fonte : site da ÉPOCA)
Leia o restante do discurso nos links abaixo:
Parte 2
Parte 3
Parte 4

Portanto, fica desde já a nossa torcida para que Barack Obama consiga fazer um bom governo para o povo americano e, por que não dizer, para todos nós, já que os EUA são o país mais poderoso do mundo e influencia também outras economias, como a nossa. Os desafios serão enormes. Ele vai encontrar um país quebrado, em crise e envolvido numa guerra graças a incompetência do seu antecessor, o sr. George W. Bush (que aliás, já vai tarde). Pelo menos, Obama parece disposto a aceitar o desafio e, com essa disposição, deve governar daqui pra frente. E desejamos que ele realmente seja digno da confiança que nele foi depositada, através da eleição.
Parabéns pela vitória, Obama. E mãos à obra.
Estaremos de olho na sua atuação.
Abraço.

4 comentários:

  1. Nem é muito difícil governar melhor que o Walker Bush.

    Mas se ele tirar as tropas do Iraque e Afeganistão já tá ótemo!

    ResponderExcluir
  2. O discurso foi bom, quero ver trabalhando.

    ResponderExcluir
  3. HAHAHHA escrevi sobre ele hoje tb.

    ResponderExcluir
  4. Me emocionei com ele dançando.

    ResponderExcluir

A partir de agora, todos podem comentar no blog, incluindo os anônimos. Contudo, para a sua segurança (e para a minha, claro), ele serão moderados. Só passarão os comentários relacionados ao assunto do post. Comentários com ofensas ou agressões não são bem-vindos. No mais, aproveite. Este espaço também é seu. Sabendo usar, não vai faltar.