segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Curiosidades olímpicas: a chegada das mulheres ao Jogos

Olá.
Dando prosseguimento à série de postagens sobre as Olimpíadas, hoje venho falar de como se deu a estréia das mulheres nos Jogos.
Hoje em dia, é a coisa mais natural do mundo ver mulher competindo nos Jogos. Inclusive, existem esportes exclusivamente femininos, como o nado sincronizado e a ginástica rítmica (não confundir com a ginástica artística, que também é praticada por homens) , por exemplo.
Maaaas, nem sempre foi assim. Nos primeiros tempos, as mulheres atletas não eram respeitadas, sendo até desprezadas por suas famílias, maridos, namorados...
Pois é. Apesar disso tudo, não demorou muito para que mulheres figurassem nos Jogos.
Foi logo na segunda olimpíada da era moderna, em Paris, em 1900. Tal olimpíada contou com a participação de 22 atletas do sexo feminino, à revelia do criador dos Jogos da era moderna, o Barão Pierre de Coubertin, que defendia os jogos aos moldes dos originais gregos, onde mulheres não podiam participar. Porém, esses jogos se destacaram justamente pela primeira a admitir mulheres na história, pois os Jogos foram ofuscados por um evento chamado Exposição Universal de Paris, o que fez com que não atingisse êxito.
Nesses jogos, podemos destacar a primeira campeã olímpica, Charlotte Cooper (1870- 1966), tenista britânica, que conquistou também 5 títulos em Wimbledon em sua carreira.


E no Brasil? Quem abriu às portas das Olimpíadas para as brasileiras e quando?
Foi a maior nadadora brasileira de todos os tempos até hoje. Maria Lenk(1915-2007), nas Olimpíadas de Berlim (1936), pioneira da natação brasileira, primeira sulamericana a ir às Olimpíadas e primeiras e única brasileira a quebrar dois recordes mundiais.
E as primeiras mulheres brasileiras que foram campeãs olímpicas foram as jogadoras de vôlei de praia Jaqueline Silva e Sandra Pires, em Atlanta (1996).


E por falar em mulher brasileira, hoje presenciamos mais um momento histórico para as mulheres brasileiras nas Olimpíadas. A primeira medalha olímpica de um brasileira em esporte individual. Ketleyn Quadros é o nome da judoca, que conquistou o bronze.


Por tudo isso, as mulheres tem merecidamente seu espaço nas Olimpíadas. Sem elas, os jogos seriam incompletos com certeza.
Vamos continuar torcendo para as mulheres brasileiras. Já tem mais resultados por virem ainda nestes jogos de Pequim. Pode aguardar.
Abraço.

2 comentários:

  1. Yeah, nós conseguimos! É só dar uma olhada no futebol aí, quem será que tem mais chances de levar heim heim? :)

    ResponderExcluir
  2. Anônimo11/2/11

    Gostaria de saber quantas mulheres forma campeãs olímpicas? Quais foram e quais medalhas ganharam.....

    ResponderExcluir

A partir de agora, todos podem comentar no blog, incluindo os anônimos. Contudo, para a sua segurança (e para a minha, claro), ele serão moderados. Só passarão os comentários relacionados ao assunto do post. Comentários com ofensas ou agressões não são bem-vindos. No mais, aproveite. Este espaço também é seu. Sabendo usar, não vai faltar.